Terça-feira, 2 de Novembro de 2010
The stories of Meden and Hanna

 

Primeiro episódio – Poetas

 

 

Meden – Oh céus... a minha casa até parece que está a mil milhas de distância.

 

Hanna - Ah Meden, aproveite nossa caminhada!

 

Meden - Sim, claro diga isso para os meus pés que já estão dormentes de tanto andar.

 

Hanna - Sabe Meden, estive pensando enquanto fazíamos as pesquisas para a aula de literatura...

 

Meden - Hãn? Com tanta coisa pra fazer daquela atividade vc ainda encontrou tempo para pensar... Hanna, vai acabar pirando.

 

Hanna – (risos) estive pensando como devia ser a vida dos poetas que viveram durante o período romântico aqui no Brasil.

 

Meden – Acho que já conseguimos material suficiente para entregar amanhã, por acaso está sugerindo algo?

 

Hanna – Na verdade o que gostaria era de ter vivido naquela época, ah fico idealizando as poesias de Álvares de Azevedo sendo declamadas apaixonadamente.

 

Meden – Hanna, esse trabalho está te deixando maluquinha mesmo.

 

Hanna – Não é nada disso Meden, senta aqui um pouco (as duas se sentam na grama da praça), todos aqueles poetas amaram sem limites.

 

Meden - Sim e a maioria deles morreram muito jovens.

 

Hanna - Morreram por amor, deixando sua poesia a ser lembrada e reverenciada pela eternidade.

 

Meden – Hanna! Vamos para casa, sim, ainda temos que digitar tudo para amanhã cedo.

  

 

Hanna – “Descansem o meu leito solitário

        Na floresta dos homens esquecida,

        À sombra de uma cruz, e escrevam nela:

        Foi poeta, sonhou e amou na vida!”

 

(risos, caminham até a casa de Meden).

 

Meden – vamos comer alguma coisa, estou morta de fome. Que tal biscoito e leite.

 

Hanna e Meden – biscoito de chocolate e leite. (risos)

 

Hanna – Meden, o que acha de nós sermos poetas?

 

Meden – poetas? Mas eu não sei escrever esses versos tão apaixonados de exaltação do amor.

 

Hanna – mas podemos treinar e logo escrever um livro de poesias.

 

Meden – é, vc não é poeta ainda, mas sabe fantasiar como ninguém.

 

Hanna – amanhã após a aula vamos à livraria, quero comprar algumas das obras dos autores românticos, assim podemos ler e ter um pouco de inspiração.

 

Meden – certo, vai realmente levar isso a sério?

 

Hanna – sim, quero de esperanças viver, quero de amor morrer!

 



publicado por oriona às 20:54
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De M.Luísa Adães a 18 de Dezembro de 2010 às 12:59
Belo diálogo!

Vim desejar "Natal Feliz" e se me depara teu belo colóquio. Gostei!

Estou em São Paulo há duas semanas e vou continuar.
Um abraço,

Maria Luísa





Comentar post

.mais sobre mim

SPECTRUM

.Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Aprender (reaprender)

. Coração Noturno

. Feliz Ano Novo

. Deturpar

. ...

. Mestre - 27 de Outubro de...

. Espelho de tua alma

. The stories of Meden and ...

. Deus é Pai [poema] - Padr...

. Sonho

.arquivos

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Maio 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Julho 2007

.links
.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds