Domingo, 28 de Junho de 2009
A Tormenta

Pintura de William Turner

 

   Vê? A criança já se foi.
 Você me disse que ainda era cedo,
    eu não pude esperar.
 Deixe as veias limpas,
     solte as agulhas que veneno levam ao teu sangue.
  Não!... Solte também a navalha.
 Ela apenas derrama o sangue,
   fere o corpo, mas não limpa a alma.
      É o fim amigo
  O fim de todas as vidas,
 de todas as alegrias.
   O fim das lembranças.
  E as dores?
 Não tem fim.
   Deixe.
     Deixe minha vida rolar por aí.
 Deixe meus sonhos dormirem nas estradas que aqui seguem.
   Pois onde dormem os sonhos,
      dormem também as esperanças.
  Ainda ouço os passos daquela criança
     Ouço gritos.
 De quem são?
    A noite... São da noite.
  Da escuridão. A tormenta.
   O frio das ruas.
  À chuva...
     leve a dor,
  leve também o medo dessa escuridão.
   A chuva cai.
 Caem também as lágrimas
    e se fazem perdidos os sorrisos.
  Ouço os sons da destruição.
 A morte...
       A vida...
  Quem sou?
        Quem somos?
   Perdidos na escuridão.
     Vê? A luz...
  Mas a chuva não para de cair
   As lágrimas não param de rolar
       E hoje,
 tudo ficará perdido no tempo e as lágrimas, com a chuva seguirão.

 

           By Oirona



publicado por oriona às 21:11
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Terça-feira, 23 de Junho de 2009
...

 
Nada dizes, nem procuro saber
O desencanto te cobre o eu...
e eu me escondo mais uma vez,
as estrelas desta noite infantil
não brilharam como outrora
os pássaros da manhã não cantaram
e eu me desespero.
Tu rasgas as histórias que escrevi
tu me transforma em pedaços
de imperfeitas geometrias.
Sou alma perdida sem corpo
neste vão que são meus pensamentos.


publicado por oriona às 16:29
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sábado, 13 de Junho de 2009
ETÉREO

 

Vem
E me da a conhecer um pouco mais de ti
Por mim
Por ti
Por nós
E assim seremos uno
Entre o ter e o não ter
Entre o ser e o não ser
O real e o imaginário
Vem
E se entrega como um sonho ao sonhador
Como uma tela ao seu pintor
E deixa enfim te desenhar
Para além do céu de estrelas cintilantes
Para além do etéreo
Para que vá além daquilo que nunca conheci em mim
Por mim
Por ti
Por nós
Enfim
Que vivamos essa fantasia sem fim.


publicado por oriona às 05:25
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Segunda-feira, 1 de Junho de 2009
Um Olhar

 

Ela sabia
Que as palavras falariam por elas
somente elas
que cada palavra seria uma explosão de sentimentos
a dominar cada toque, cada olhar
que não se tocam, não se olham
mas que ficam no falar
de enigmáticas palavras
que almejam
talvez um dia
um olhar...

 



publicado por oriona às 03:52
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

.mais sobre mim

SPECTRUM

.Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
27
28
29
30

31


.posts recentes

. Aprender (reaprender)

. Coração Noturno

. Feliz Ano Novo

. Deturpar

. ...

. Mestre - 27 de Outubro de...

. Espelho de tua alma

. The stories of Meden and ...

. Deus é Pai [poema] - Padr...

. Sonho

.arquivos

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Maio 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Julho 2007

.links
.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds